Calçados masculinos em couro de Franca

Calçados masculinos em couro: Franca é conhecida como a capital do calçado masculino (veja um resumo da história mais abaixo). A Ferricelli, no mercado calçadista desde 1995, tornou-se conhecida no segmento e se destaca pela diversidade de opções dentro do universo da moda masculina. Qualidade, design e conforto são requisitos básicos em todos os produtos.

Os calçados sociais masculinos em couro legítimo da Ferricelli estão de volta! Você pediu e nós atendemos o seu pedido com a volta dos Sapatos Sociais em nossa coleção. Confeccionados em 100% em couro, os calçados masculinos em couro legítimo da Ferricelli estão antenados com as tendências dos mercados nacional e internacional e conta com detalhes que estão alinhados com os desejos do homem moderno e as passarelas de moda do mundo todo.

Calçados masculinos de Franca em couro legítimo

Calçados masculinos em couro de Franca

Os calçados masculinos em couro de carneiro ou tradicional da Ferricelli resultam em maior resistência das fibras internas, o que permite fazer um sapato social de bico mais fino sem estourar, oportunizando um visual mais elegante.

Os calçados masculinos em couro de carneiro são leves e macios, além da resistência do couro que é excelente. Além dos sapatos, esse tipo de pele é muito utilizada na fabricação de bolsas femininas e masculinas.

Sapatênis ou sapato social em couro legítimo. Compre aqui na nossa loja on-line. Temos calçados masculinos em couro legítimo para trazer conforto e qualidade para a sua aquisição. Calçados masculinos em couro 100%.

Sapato social em couro de Franca com tecnologia de amortecimento


Sapatos masculinos sociais também podem (e devem) ser confortáveis. Os calçados masculinos em couro da Ferricelli possuem a tecnologia Wave Memory, uma tecnologia desenvolvida em que ondas que amortecem o impacto. Um solado feito de borracha gel com inserto de P.U. Solado leve, com excelente absorção de impacto.

A palmilha utilizada no nosso sapato social masculino é extremamente confortável e anatômica. Ela é produzida em PU (poliuretano) e possui memória especial que impede que a mesma se deforme no decorrer do uso, proporcionando assim uma sensação de bem estar constante no seu dia a dia.

Já os cabedais dos calçados masculinos em couro é confeccionado em couro mestiço de carneiro que promove macies e boa adaptação no calce.

Franca, a capital do calçado masculino

franca-capital-do-calcado-masculino-panoramica-calcados-Ferricelli

Você sabia que a produção de calçados em Franca é responsável por cerca de 6% da produção brasileira e 3% das exportações totais? Por esses e outros motivos é que Franca tem o título de a capital do calçado masculino.  Título que o município ganhou em 1959, quando o então Ministro do Estado dos Negócios do Trabalho, Indústria e Comércio enviou uma carta reconhecendo o Sindicato da Indústria de Calçados de Franca como a primeira entidade da categoria econômica do interior de São Paulo.

Fatores que colaboraram para a consolidação do pólo coureiro-calçadista de Franca

1) A pecuária, sem dúvida, criou as condições gerais para o seu desenvolvimento.
2) Os artesãos, que se dedicavam aos trabalhos em couro, reforçaram suas condições. Seleiros e sapateiros existiam em todas as vilas da Província.
3) Os Curtumes, artesanato do couro e a imigração estrangeira são preponderantes na implantação da indústria de calçados.

A fabricação de sapatões e chinelos era uma atividade integrada na economia do município desde o final do século passado. Nessa época Franca já possuía 18 fábricas que chegavam a produzir mais de 30 mil/pares mês, entre botinas, sapatões e chinelos.

Na década de 50 acontece o fortalecimento da indústria calçadista incrementada por créditos concedidos pelo Banco do Brasil. Com produtos de melhor qualidade e preços competitivos, começa a corrida para a conquista de mercados externos, especialmente norte-americanos.

Tipos de couro utilizados nos calçados masculinos (mais comuns)

Couro legítimo (tradicional): é a mais tradicional das opções. No Brasil, ganhou destaque logo após a colonização do país, já que os rebanhos passaram a ser uma atividade mais comum. A matéria prima é o couro de origem animal que é submetido por processos artesanais ou industriais (curtido com sais de cromo) para manter a mesma resistência original, porém com design e acabamento de fábrica.

Couro sintético: produzido em fábricas com componentes químicos (polímeros – derivados de petróleo ou PVC reciclado), origina um material que aparenta o couro legítimo, porém com uma menor resistência e qualidade. Muitas pessoas compram couro sintético acreditando que terão uma peça que pode durar muitos anos, mas que na verdade não apresenta esta característica.

Breve história do uso do couro

No Egito antigo, três mil anos a.C., há numerosas evidências do uso do couro curtido. Também na China, a fabricação de objetos com couro já era realizada muito antes da Era Cristã. Babilônios, hebreus e os antigos gregos usaram processos de curtimento, assim como os índios norte-americanos. No século VIII, os árabes introduziram na Península Iberica a indústria do couro artístico.

Em Pérgamo desenvolveram-se, na Idade Antiga, os celebres “pergaminhos” usados na escrita e que eram feitos com peles de ovelha, cabra ou bezerro.

As primeiras descobertas reais e pesquisadas da existência dos calçados foram nas tumbas das pirâmides egípcias.

Não é conhecido a sequência da evolução do material empregado, mas pelas evidências detectadas nas pirâmides observamos sandálias de papiro ou de folhas de palmeiras, que se conservam em excelente estado até os dias presentes. Porém, dificilmente descobriremos a história exata da evolução da sola e do cabedal.

Quanto ao emprego do couro, provavelmente fizeram na sua forma cru, pois o curtimento vegetal é uma evolução tecnológica mais moderna.

Equipe de Conteúdo Ferricelli

Somos uma equipe multidisciplinar da Ferricelli composta por designers, jornalistas, e outros profissionais focados em trazer conteúdo de qualidade para nossos leitores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *